Diversidade linguística é uma das principais características socioculturais de Moçambique

Por Ezra Chambal Nhampoca, professora do Departamento de Línguas – Secção de Línguas Bantu, da Universidade Eduardo Mondlane

 

 

A  República  de  Moçambique  situa-se  na  África  Austral.  Está dividida administrativamente em 11 províncias e 128 distritos e 53 municípios. Moçambique apresenta os seguintes limites territorias, Oceano Índico, a Leste; a Norte pela Tanzania; a Noroeste pelo Malawi e Zâmbia; a Oeste pelo Zimbabwe e a Sudoeste pelo e-Swatine (antiga Suazilândia) e  pela  África do Sul. A capital e a maior cidade do país é Maputo,  situada na zona sul do país, junto à fronteira com a África do Sul e  Swazilândia.  Possui cerca 28.000.000 de habitantes. 

 

É  um  país  multilíngue,  multiétnico  e  multicultural  como  sucede com a maioria dos países africanos. E a  maioria  da sua população  pertence aos povos Bantu. grupo etnolinguístico localizado principalmente na África subsariana e que engloba cerca de 400 subgrupos étnicos diferentes. http://ilabantu.inzotumbansi.org/malunda-bantu/. As características acima descritas conferem  ao  país  uma  diversidade  cultural  e  linguística,  sendo  a diversidade  linguística  de  Moçambique  uma  das  suas  principais características socioculturais. O Português  é  a  única  língua  oficial, adotada logo depois da Independência, em 1975,  como língua da unidade nacional, embora já existam várias sinalizações de introdução das línguas Bantu moçambicanas em espaços formais  e  públicos  e o  Ensino  Bilíngue  introduzido no país, nos anos 2002/2003.

 

A situação linguística de Moçambique é complexa, o que se evidencia pela falta de consenso quanto ao número de línguas existentes.  Para além do Português, língua oficial, o país apresenta um pouco acima de  20  línguas de origem Bantu, que são as mais faladas. Cerca 80% da população moçambicana tem como língua materna uma língua Bantu e, em geral, os moçambicanos falam de duas a quatro línguas de origem Bantu, ou seja, são bilingues, trilingues ou mesmo multilingues, no que respeita as línguas Bantu.

 

As principais línguas Bantu faladas em Moçambique são:

Changana,

Chuwabo,

Cibalke,

Copi,

Koti,

Lomwe,

Makhuwa,

Makonde,

Manyika,

Mwani,

Ndau,

Nyanja,

Nyungwe,

Rhonga,

Sena,

Shona,

Tewe,

Tonga,

Tshwa e

Yaawo. 

 

Na capital Maputo, fala-se, predominantemente, as línguas Rhonga e Changana.

 

Para  além  do  Português  e  das  línguas  Bantu,  há outras  línguas  faladas no território, embora em pequena escala, como por exemplo, as de origem europeia: Francês, Espanhol, Inglês, Alemão; as de origem asiática e/ou línguas do Médio Oriente, como Mandarim, Urdu, Gujurati, Hindi e Memane.

A província de Maputo, que inclui a Cidade de Maputo, tem como línguas nativas o Changana, na zona fronteiriça com Gaza, Rhonga que caracteriza as cidades de Maputo e Matola e os distritos de Marracuene, Moamba e Matituine; Swazi, na fronteira com a Suazilândia e Zulo na fronteira sul com a República da África do Sul.

—————————————————–

Quando o assunto é diversidade linguística, a Rádio Moçambique aparece como um símbolo nacional. Criada em 1975, transmite a programação em Português, Inglês e em 19 línguas nacionais.

 

 

Vale ressaltar um fato histórico: em 7 de Setembro de 1974, após a assinatura dos Acordos de Lusaka, entre representantes do Governo Provisório português e representantes da FRELIMO, alguns colonos assaltaram e tomaram a sede do Rádio Clube de Moçambique, em Maputo, com o propósito de contestar os termos desse acordo, e tentar, com o apoio da África do Sul, a instauração de uma independência branca, inspirada no modelo da então Rodésia, atual Zimbábue.

 

À altura da Independência de Moçambique, o nível de analfabetismo no país chegava a 80% e era  preciso assegurar a chegada de informações, de comunicação para toda a população moçambicana para a concretização do projeto de unidade nacional.

 

Os conteúdos da Rádio Moçambique são produzidos na sede, em Maputo, e nas outras dez redações instaladas nas províncias. Uma delas é em Matola, que tem uma vasta programação em Changana. E foi em Changana que a professora Ezra  Chambal Nhampoca deu uma entrevista à apresentadora Mônica Novela sobre o nosso MM2021.

 

Conheça um pouco da língua Changana ouvindo o áudio da entrevista.

 

Parceiros

Logo UEMLogo Emb. FrançaLogo Fórum MulherLogo FESLogo Afeto